quinta-feira, 1 de maio de 2008

Draft - Revisited

Passados alguns dias do final do draft, resolvi voltar a fazer mais algumas considerações sobre os jogadores escolhidos pelo time. Vou tentar responder algumas das principais dúvidas dos torcedores dos Seahawks, surgidas em fóruns dos EUA e aqui mesmo no blog:

Por que um defensive end no 1º round?

Já havia comentado aqui no blog antes: os Seahawks querem imitar a estratégia que rendeu o Superbowl ao New York Giants. "Pass rushers" são jogadores bastante valorizados na NFL nos últimos tempos (vide a troca entre Chiefs e Vikings por Jared Allen). Lawrence Jackson vem, inicialmente, para fazer o papel que Justin Tuck teve no Giants: rodará com Patrick Kerney e Darrill Tapp, mantendo o pass rush (que depende, fundamentalmente, da velocidade dos jogadores) constante, e pode, ainda, dada sua versatilidade, jogar como tackle em algumas situações. Lo-Jack deve competir ainda com Tapp, que é um pouco inconstante, pela posição de RDE. O jogador também será importante na defesa contra corrida do time.

Por que Lawrence Jackson e não Phillip Merling ou Questin Groves? Não foi um "reach"do time?

Merling e Groves, de fato, eram reputados pela maioria dos mock drafts como jogadores de 1º round, enquanto esperava-se que Jackson saísse apenas do meio do 2º round para frente. Nesse sentido, comparado ao que os mocks e os especialistas apostavam, Lo-Jack foi um reach dos Seahawks.

Essa concepção muda, entretanto, se consideramos que o time não segue os mocks, mas sim a sua própria tabela de melhores jogadores! Tim Ruskell afirmou várias vezes antes do draft que os Seahawks escolheriam o BPA (melhor jogador disponível), independente da posição. E foi o que time fez: escolheu Lo-Jack, o melhor jogador disponível segundo a classificação do time. Esse é um ponto que precisa ficar claro, até para drafts futuros: a diretoria dos Seahawks tem um método de avaliação de jogadores diferente dos analistas da NFL em geral.

Ruskell privilegia o seguinte perfil: (i) jogador de grandes programas universitários (e que, portanto, enfrentou forte concorrência na faculdade - é fácil se destacar quando os adversário são frágeis); (ii) que tenham sido constantes durante os anos de faculdade (Lo-Jack foi titular e teve boa produção durante os 4 anos na USC - Merling e Groves são "one year wonders", ou seja, jogadores que apenas se destacaram no último ano antes do draft); (iii) jogadores que sejam inteligentes e de bom caráter (Lo-Jack tem uma ficha perfeita e é bastante articulado - veja o vídeo que posto abaixo); (iv) se possível, que tenham alguma ligação com o time ou com a cidade (Lo-Jack declarou que seu sonho sempre foi morar em Seattle - pode ser demagogia, mas o simples fato dele declarar isso já demonstra a preocupação em agradar a torcida).

O mesmo se aplica ao DT Kentwan Balmer, que muitos acreditavam que seria escolhido pelos Seahawks: só se destacou no último ano, não é dedicado, e tem problemas de caráter. Os Seahawks nunca vão escolher um jogador assim, mesmo que fosse um cara como, vamos dizer, Darren McFadden!

Vídeo da entrevista de Lo-Jack no NFL Network:

http://www.nfl.com/videos?videoId=09000d5d80814008

Por que os Seahawks fizeram o "trade up" para escolher o TE John Carlson? Não foi um "reach" do time? Não havia opções melhores, como Fred Davis e Dustin Keller?

Primeiro, o trade up: segundo Ruskell declarou em entrevistas, os Seahawks tinham informações seguras de outros times de que Carlson seria escolhido antes do nosso pick no 2º round. Sendo assim, o time teve que fazer a troca com os Ravens (único time que aceitou trocar com os Seahawks naquele ponto do draft), mandando nosso pick no 3º round. Sim, doeu perder o pick do 3º round, mas a perda foi compensada pela escolha do DT Red Bryant no 4º round (o jogador que o time queria no 3º!).

Agora, o motivo da preferência por Carlson: Fred Davis e Dustin Keller, provavelmente, serão TE com uma produção ofensiva bem melhor que a de Carlson. Mais isso porque os dois nada mais são que grandes WRs! Eles não são TEs na definição clássica da posição: Davis e Keller não sabem bloquear. A forma de bater as defesas na NFL é sempre mantê-las no "escuro", ou seja, sem saber a próxima jogada do ataque. Colocar "TEs" como Keller e Davis em campo é indicar claramente que será uma jogada de passe. São jogadores unidimensionais, e os Seahawks privilegiam versatilidade.

Mas aqui vem ponto fundamental na escolha de Carlson: John era o jogador que tanto Ruskell, mas principalmente Holmgren queriam! A West Coast Offense de Holmgren dá grande importância ao TE (que precisa saber bloquear e receber), mas o técnico praticamente não teve um jogador decente na posição em todos esses anos em Seattle. Além de Carlson se enquadrar perfeitamente no perfil de Seahawk que detalhei acima, ele era, sem sombra de dúvida, o TE melhor preparado para jogar de imediato na NFL.

Lembrem-se que este é o último ano de Holmgren a frente dos Seahawks, e ele precisa de jogadores que possam contribuir de imediato. Por isso disse que Carlson foi o presente de despedida de "Holmie" a frente do time.

Por fim, se Carlson não tem o mesmo potencial como receiver que Davis e Keller, isso não significa que ele não será um bom alvo para Hasselbeck. Muito pelo contrário, Carlson teria sido first rounder se tivesse se candidatado ao draft o ano passado, quando era o principal receiver de Brad Quinn. Ele caiu esse ano porque Notre Dame perdeu todo o resto do talento que tinha no ataque. Seu tempo "alto" nas 40 jardas no combine é devido a uma forte gripe que acometia o jogador no dia (e mesmo assim, ele foi até lá competir).

Veja um vídeo de Carlson:

http://www.youtube.com/watch?v=WaglRSQDnFE

Por que um fullback no quinto round? Será possível que Owen Schimitt jogue na linha ofensiva?

A primeira pergunta eu vou deixar o próprio "caminhão de cerveja desgovernado" (esse era o apelido de Schmitt na faculdade!) responder:

http://www.youtube.com/watch?v=v-oQDhhpOZ4&feature=related

Pode apostar numa coisa: até o final da temporada, Schmitt no 5º round vai ser reconhecido como um dos maiores "steals" desse draft!

Mas não, não é possível colocar Schmitt para jogar na linha ofensiva: apesar de grande, Owen é "pequeno" para jogar como OL. Além disso, as competências exigidas para se jogar como FB e como OL são muito diferentes (uma coisa é bloquear LBs em movimento, outra é estar parado e impedir a passagem de DEs e DTs). Mas Schmitt, enquanto FB, vai ser bastante importante para abrir buracos para nossos corredores.

Por que raios o time escolheu o long-snapper no 6º round???

Em primeiro lugar, Tyler Schmitt não é um long-snapper. Ele é "O" long-snapper!!! Essa é uma posição extramente underrated na NFL, mas que tem impacto fundamental em punts e field goals. Só lembram dela quando há um erro, e nós tivemos vários o ano passado. Imagine um único cenário: Seattle 22, Arizona 24, disputando o título da divisão. Últimos segundos de jogo, Brandon Coutu se prepara para chutar o field goal da vitória e... o LS erra o snap, Plackmeir não consegue por a bola a tempo, e toda a temporada escorre pelo ralo! Perceberam a importância de um LS? Nunca mais vamos ter um erro em snaps por anos!

Mas porque no 6º round? Mais uma vez, os Seahawks não eram os únicos interessados: Tyler tinha acabado de falar com o técnico do New Orleans Saints quando os Seahawks o draftaram. Ele não estaria disponível no sétimo round.

Os Seahawks não deveriam ter escolhido um RB antes? Quem é Justin Forsett?

O time está bastante confortável com o grupo de RBs que temos agora. Individualmente, Julius Jones, T.J. Duckett, Maurice Morris e Justin Forsett não chegam nem perto do cadarço do tênis de Shaun Alexander em seu auge. Mas, em conjunto, os 4 vão oferecer um backfield bastante versátil para o time e, com a esperada melhora da linha ofensiva, o jogo corrido do time deve ter uma produção bem melhor que o ano passado.

E Forsett pode ter sido um belo steal no sétimo round! O jogador conseguiu mais de 1500 jardas e 15 TDs em 2007 jogando por Cal. Ele só caiu tanto no draft porque é pequeno para os padrões da NFL. Mas os Seahawks não se importam com padrões quando identificam um talento: o time foi bastante criticado em 2005 poder ter feito um trade up para escolher um certo linebacker que a maioria considerava pequeno e lento... e ele foi a 3 pro-bowls desde então! Forsett me parece promissor e deve no começo ser usado como retornador junto com o CB Josh Wilson.

Veja alguns vídeos de Justin Forsett:

http://www.youtube.com/watch?v=yOMLaCV8ENo

http://www.youtube.com/watch?v=_GXHG0sZz6Q

O time não precisava de depth nas posições de linebacker e safety? E um WR?

Sim, por isso contratamos os seguintes undrafted free agents:

S Jamar Adams, Michigan
CB Donovan Alexander, North Dakota
WR Travis Brown, New Mexico
WR Michael Bumpus, Washington State
LB Matt Castelo, San Jose State
G Dustin Dickinson, Houston
CB DeMichael Dizer, Grambling
LB David Hawthorne, Texas Christian
S Kelin Johnson, Georgia
T William Robinson, San Diego State
WR Anthony Russo, Washington
S Eric Wicks, West Virginia

Como podem ver, o time terá profundidade e competição suficiente dos reservas nestas posições.

Os Seahawks contrataram ontem ainda os seguintes free agents: DT
Larry Triplett, LB Wesley Mallard, e QB Dalton Bell. Triplett, principalmente, é um belo reforço - foi titular dos Bills nos 16 jogos do ano passado. Trará ainda mais profundidade para a posição de DT, principalmente depois de ontem ter sido divulgador que Marcus Tubbs (o melhor DT do time quando saudável) passará por mais uma cirurgia no joelho, dessa vez para "limpar" alguns resquícios da cirurgia anterior. Não é nada grave, mas ele só deve estar disponível no começo da temporada...

E a linha ofensiva? E a linha ofensiva? E A LINHA OFENSIVA???

Como disse antes, eu também me preocupo um pouco com o fato do time não ter draftado ninguém para melhorar o ponto fraco do time o ano passado. Mas, para a diretoria, o técnico Mike Solari será o suficiente para fazer com que jogadores antes promissores, mas que decaíram a temporada passada, com o G Rob Sims e o C Chris Spencer melhorem.

Mesmo assim, a temporada do time está, literalmente, nos ombros de um único jogador: LT Walter Jones. Big Wal é um dos melhores LTs da NFL, mas já está ficando velho e fez cirurgia nos dois ombros. Se ele se machucar seriamente, estamos perdidos... O negócio é torcer para que isso não aconteça!

Bom, é isso! O minicamp do time começa amanhã, vou tentar postar novidades com regularidade. Se tiverem alguma dúvida quanto ao draft ou o futuro do time, postem nos comentários e eu tento responder.

GO SEAHAWKS!

Um comentário:

Leonardo disse...

um EXCELENTE post
concerteza respondeu muitas das minhas duvidas sobre o draft e me animou com essa temporada
até agora o blog esta otimo!
Um trabalho execepcional henrique
parabens pelo blog